segunda-feira, 27 de novembro de 2017
Texto escrito por mim e pelo autor de Nossa Trilha Sonora, J. Victor Araújo, que também atuou como revisor da postagem!

----------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Nessas últimas semanas, houve a divulgação do título do novo filme da série de filmes ambientados no universo de Harry Potter, “Animais Fantásticos: os crimes de Grindelwald”. Junto com a revelação do título, veio uma foto inédita com todo elenco do filme reunido. Foi a fagulha que atiçou não só a curiosidade dos fãs, mas também um grande alvoroço contra a participação de Johnny Depp na franquia.


A imagem pode conter: 9 pessoas
            
domingo, 5 de novembro de 2017
Leituras do Mês: outubro.

O mês de outubro foi bastante produtivo, já que aprendi a conciliar as leituras da faculdade com as minhas leituras de entretenimento, quer dizer, mais ou menos, e minha explicação é essa aqui: passar mil horas por dia, de ida e volta da faculdade, no ônibus, ajuda um bocadinho em acelerar as leituras de-livros-não-obrigatórios atrasadas (convenhamos, passar todo esse tempo sem fazer nada é um tamanho desperdício), afinal, não vou ficar lendo artigos que eu não entenderia sem se eu estivesse em um mosteiro, imagine em um ônibus lotado... (eu mereço relaxar um pouco, vai).

Me senti um pouco mais inspirada em tanto escrever quanto em cuidar do blog (eu amei o novo layout, inclusive), então estou animada. As coisas na faculdade andam um tanto estressantes, mas nada que um último mês de aulas não ajuste e é verdade que será uma tamanha correria, mas nada que alguém que ame trabalhar sob pressão não consiga, certo? Ah, conheci os sebos de Manaus e: meu deus, que Você abençoe as permutas de livros!!! Finalizando essa rápida introdução, estou pensando em algumas postagens diversas para o blog, tanto questões literárias quanto sociais e pessoais, então vamos torcer para que eu possa sempre mantê-lo atualizado... :P

            Agora eu estava pensando em trazer este quadro que é muito comum, popular e de gosto geral: as leituras feitas durante o mês.

Como eu disse, o mês de outubro foi bastante produtivo para mim, então segue a lista as minhas leituras, o que elas abordam e minhas impressões sobre.

sexta-feira, 20 de outubro de 2017


                Faz muito tempo que eu não entro aqui, huh? Mas tudo bem, uma hora ou outra as coisas podem voltar, recomeçar, ganhar uma nova perspectiva e tudo o mais, o que não podemos deixar é que algo que nós gostamos tanto de acabar ou parar ou MORRER porque não temos tempo ou seja lá o motivo, como o meu de tempos atrás que era não ter computador. Pois bem, continuo sem computador, mas meu namorado tem um e olha que legal: ele tem Word! Posso escrever lá, meu namorado deixa e o meeeeu namorado é bem legal. Pois é, agora eu tenho um computador e tenho um namorado que empresta esse computador para mim.

                Há um ano, período mais ou menos que eu postei o último texto aqui do blog, eu estava na mais completa merda. Isso mesmo, sem eufemismos ou outra palavra que possa expressar isso melhor, eu estava na fase mais cocozenta da minha vida naqueles 18 quase 19 anos. Mas nossa, muita coisa de lá para cá mudou. Inclusive e principalmente, eu mesma.

                Mas o texto de hoje é para fazer um mero desabafo sobre a faculdade. Já fiz um parecido, mas na época eu tinha 17 anos e ainda estava na escola e não tinha tanta noção da cabeça humana como eu tenho agora. Não que eu tenha muito agora, né. Mas de quase três anos para cá, muita coisa mudou, principalmente... tudo.

                Há um ano, mesmo muito bad e passando por uma fase difícil, eu absolutamente amava a minha faculdade e era louquinha, louquinha pelo curso, simplesmente amava todas as disciplinas e não via outro lugar senão a faculdade para ser o meu lar.

                Well, muitas coisas mudaram. Certo, ainda amo meu curso. E beleza, ainda não me vejo em outro curso. É só que...
sábado, 14 de janeiro de 2017

*Olá, eu me chamo Kethycia, tenho 19 anos e estou tendo a crise dos 20 anos
~oi kethycia, uma pequena platéia me recebe.

Me acho velha demais para pintar o cabelo, fazer cosplay, escrever ou ler  fanfics, tietar artistas, usar certos tipos de roupas ou acessórios, assistir ou ouvir certos gêneros de entretenimento. Em resumo, me sinto velha.

(velha até para escrever num blog cof)

sábado, 26 de novembro de 2016
Decepção é esperar o mínimo de alguém e deparar-se que sequer foi respeitada. Decepção é esperar que seu amor seja valorizado, mas no final das contas, você foi desprezada. Decepção é esperar respeito e ter, como resposta, todos os níveis de traições possíveis. Decepção é se arrepender de ter sido boa, de ter confiado, de ter amado e desejado e ter sentido algo genuíno.

Decepção é você se sentir perdida, desamparada, solitária enquanto dizem que te amam. Decepção é você amar de verdade quem te cerca, mas não sabe se eles pelo menos te desejam algo bom. Decepção é você saber que não pode confiar, mas queria tanto poder isso. Decepção é você sentir saudades da pior época da sua vida porque você jamais imaginaria que as coisas só piorariam. Decepção é você conhecer alguém, conseguir tornar aquele alguém (enxergá-lo assim, pelo menos) como alguém maravilhoso, de bom coração, nunca querer perder essa pessoa e ela te apunhalar, não pensar em você, destruir seus sentimentos, amores e psicológico. E não ser aquela pessoa que você imaginou que ela fosse.

Decepção é você ter tantas crises e não fazer ideia do que elas sejam, mas na verdade você talvez tenha ideia, mas tenha medo. Decepção é você não aguentar mais ter essas crises. Decepção é você não conseguir evitar que essa tristeza apareça do nada e destrua seu dia. Tristeza é você querer tá bem, desejar isso, mas se sentir cansada e querer chorar, sem saber o motivo para isso. Quer dizer, são tantos, mas você ainda assim não sabe o motivo. Você só está cansada.

Decepção é ouvir que a ditadura foi uma época boa, já que bandido não andava na rua, que só era torturado quem merecia (sendo que pessoas aleatórias, que infelizmente estavam no lugar errado, na hora errada, foram destruídas com essas torturas), decepção é você ouvir que não tem preconceito com gay, mas com sapatão sim e isso não é homofobia. Decepção é você sair da sua bolha de privilégios e se sentir perdida por não saber como ajudar e mudar a vida das pessoas que estão numa merda pior que a sua. Decepção é saber que você só pode contar com sua família, já que seus amigos ainda são amigos de quem foi cúmplice de quem despedaçou seu coração e aniquilou a pouca confiança interna que você tinha e você não pode fazer nada. 

Decepção é você sentir fome, mas não apetite (ou vice-versa). Decepção é você tá amando seu cabelo, mas não conseguir achá-lo atraente. Decepção é você ficar feliz com um casal e desejar que eles sejam felizes para sempre, mas temer que você nunca tenha isso, porque você não consegue mais confiar. Decepção é você não está no grupo de amigos do Whatsapp em que todos seus amigos estão lá (e eles dizem que te amam e você quer acreditar nisso porque você os ama, mas mesmo assim, isso magoa, essa exclusão). 

Decepção é você querer se libertar de várias correntes que te machucam, mas você ter tanto medo de se machucar mais. Porque você sabe que vai, porque sempre foi assim. Decepção é você está a um passo de cometer uma grande merda, mas você quer fazer isso porque você cansou de esperar a pessoa certa, já que ela não existe e você quer se divertir um pouquinho, poxa. Decepção é morar longe. Decepção é você morar longe de tudo. 

Decepção é você não conseguir rir de coração, porque sua mente tá falando que aquele momento vai acabar.
Decepção é você ter amigos que se importam mesmo contigo, mas estarem tão fodidamente longe de ti.
Decepção é você pensar muito.
Decepção é te cobrarem para ficar bem, sendo você quer ficar bem, mas não sabe como. Na verdade, não lembro nem como é estar bem mais. Decepção é fazerem você se sentir culpada por isso. 
Decepção é você ter sido traída por tantas pessoas. E por aquela pessoinha que você tanto sonhou que era a pessoa. E você sabe que ela não merece nenhum espaço nos seus pensamentos.

Ódio, mágoa, raiva, desejar a infelicidade aos outros são coisas ruins. Mas a decepção é destrutiva e te aniquila porque ela cria raízes na tua alma, se tornam cicatrizes que ao olhar pros nós dos dedos ou pra perna, elas estarão lá para te dar um tiro na cara. Então sentir essas coisinhas (ódio, mágoa, raiva) ou desejar outras coisinhas (que elas sejam infelizes, que as vidas delas se tornem insuportáveis, que elas sintam 1% da decepção e desespero que você sente ao acordar) te acalenta um pouco. E você não se sente culpada por isso... na verdade, se sente aliviada.

Decepção é você tá amando seu curso, mas sonhar com aquele outro.
Decepção é você saber que as pessoas erraram contigo, saberem disso e ainda assim, fogem da culpa.
Decepção é te cobrarem coisas que você SIMPLESMENTE NÃO IMAGINA O QUÊ. E te fazerem sentir culpada por isso. 
Decepção é pensar muito. Decepção é ter muito medo. Decepção é ser tímida, medrosa, insegura demais. Sentir decepção de uma forma tão vívida é decepcionante.

Decepção é te julgarem por estar decepcionada e não imaginarem o buraco negro que a sua vida se tornou. Mas não te ajudarem, só cobrarem. Não é somente por ele, por elas, pela lealdade. É pela infância solitária, pelo abandono afetivo, é pela escola tóxica, é pela violência da que não deve ser nomeada. 

Decepção é sentir saudades. Decepção é se sentir incapaz de muita coisa. Decepção é medo de decepcionar... 

Eu não fico triste porque quero. Meu humor oscila em 20 minutos umas 5 vezes e eu não faço ideia do que fazer para evitar isso. Eu só me sinto cansada e desanimada. 

Decepção é você querer ser amiga das pessoas, mas não ter tanta intimidade para isso. Mas você as ama mesmo assim, porque sentir amor e se sentir feliz por elas te alivia um pouco (mesmo que por três segundos e você ver o sorriso delas e saber que elas sabem que são sinceros seus desejos de felicidades para elas). 

Decepção é ter medo de ser uma péssima amiga. Ter medo de não poder ajudar porque já tem problemas demais. De ser impotente. Ser inconveniente. 

"O medo pode destruir seu coração", mas ah, cara, a decepção esvazia a sua alma.

E esse texto não merece fotinha.
Tecnologia do Blogger.

Populares

Pesquise

Tradutor